Domingo, 31 de Dezembro de 2006

Balanço Final!!!!

Hoje termina um ano e outro (ano) se aproxima, e fazendo o meu balanço final cheguei à conclusão e posso cantar como canta o Tony das "Camnhentas" (Carreiras):

 

“E hoje olhando para trás
Horas boas e más
Tinham que acontecer
A vida é mesmo assim
Tudo o que eu vivi
Voltaria a viver
 
Tudo valeu a pena
Alegrias e dor
O que me deu tristeza
E o que eu fiz por amor
 
Tudo valeu a pena
Se chorei se sorri
Porque tenho a certeza
DEI O MELHOR DE MIM
sinto-me:
publicado por etoulixada às 21:43
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 30 de Dezembro de 2006

Este mundo não é o meu...

Saddam Hussein foi executado

Saddam Hussein foi executado momentos antes das 6 da manhã, hora local, naquele que é considerado o dia mais sagrado do calendário muçulmano.

Saddam Hussein, ex-ditador iraquiano, foi enforcado às 6h00 da manhã, no Iraque (3h00 da manhã em Portugal).

Segundo uma testemunha, Saddam não quis que lhe cobrissem a cabeça e tinha na mão o Corão.

A morte de Saddam teve lugar num dos dias mais sagrados do calendário muçulmano.

Celebra-se hoje a Eid-al-Adha, ou a festa do sacrifício. Representa o sacrifício que Abraão estava disposto a fazer para mostrar o seu amor por Deus ao matar o próprio filho. É no âmbito destas celebrações que os mulçumanos se deslocam até Meca para cumprir uma das "obrigações" da religião.

O responsável pela equipa de defesa de Saddam Hussein, Abdel haq Alani, afirmou à BBC que esta execução pode mesmo ser vista como "um acto de um líder cristão sobre um muçulmano", numa clara afirmação à imposição da vontade do governo dos EUA sobre as autoridades do Iraque.

 

Saddam Hussein

 

- Presidente do Iraque desde 1979; promove a guerra com o Irão (anos 80) e bombardeia o povo curdo com gás venenoso.


Um tribunal de recurso confirmou a sentença.

 

Do clã Hussein, apenas sobreviveram a mulher e três filhas. Uma das filhas está exilada na Jordânia.

Os filhos de Saddam que tinham uma grande influência política e militar no regime iraquiano, Uday e Qusay, foram mortos em 22 de Julho num ataque norte-americano contra uma casa e Mossoul.

 

http://info.sapo.pt/nn/714702.html

- Em 1990 invade o Kuwait, no sentido de controlar o Golfo Pérsico e deu origem à Tempestade no Deserto , com uma coligação internacional liderada pelos EUA. A «raposa» utilizou artifícios de cartão para enganar os aviões das forças aliadas, mandou lançar mísseis contra Israel e escapou a sucessivos ataques aéreos que visavam eliminá-lo. 40 dias depois do inicio da «Tempestade do Deserto» anunciou a retirada do Koweit e manteve-se na liderança do Iraque. A guerra causou a morte entre 150 a 200 mil iraquianos.

- 1993 os aliados atacam um depósito de mísseis e instalações nucleares no Iraque.

- 1996, os EUA disparam vários mísseis contra o Iraque em represália pelo avanço iraquiano sobre a zona de segurança estabelecida no norte do país, onde vive a minoria curda.

- Em 1998, Os EUA e a Grã-Bretanha reforçam a presença militar no Golfo depois de o Iraque recusar-se a permitir a entrada de inspectores nos palácios presidenciais. Bagdade é atacada em Dezembro.

- 2000, uma série de voos regressam ao aeroporto de Bagdade, numa campanha contra as sanções impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

- Março de 2003: As forças militares dos EUA apoiadas pela Inglaterra avançam contra as tropas iraquianas e efectuam durante vários dias alguns bombardeamentos com o intuito de matar Saddam Hussein.Ver video (TSF) . O motivo, nunca confirmado, tinha a ver com a acusação de que o regime iraquiano estava a produzir armamento nuclear.

- 13 Dezembro 2003: Depois de uma longa procura e de ter sido dado como morto várias vezes, Saddam Hussein foicapturado vivo, em Dezembro de 2003. Foi julgado por um tribunal especial.

No inicio de Novembro deste ano acabou por ser condenado à morte por enforcamento por ser considerado culpado da morte de 148 chiitas em Doujaïl na década de 80.

sinto-me:
publicado por etoulixada às 21:14
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2006

“Só quando desaparecer lhe darão o devido valor”

"JOSÉ HERMANO SARAIVA nasceu em Leiria a 3 de Outubro de 1919. Foi ministro da Educação entre 1968 e 1970 e embaixador no Brasil entre 1972 e 1974, mas tornou-se conhecido dos portugueses sobretudo na apresentação de programas televisivos sobre a história do País.É, designadamente, membro da Academia das Ciências de Lisboa, da Academia Portuguesa da História e do Instituto Histórico de São Paulo, no Brasil.

Para Tozé Martinho, o conhecido historiador de 87 anos "é senhor de uma cultura admirável", a quem "só quando desaparecer darão o devido valor" Segundo Tozé O Professor consegue juntar capacidade de comunicador à sua enorme cultura e memória. O Autor de novelas refere ainda que José Hermano Saraiva "tem uma característica a que Felline se referiu um dia assim: «um homem sem humor é um homem desarmado. O professor tem esta arma que é infalível, é muito bem - humorado e tem um humor muito próprio»". in "24 horas" em 28 de Dezembro de 2006.

sinto-me:
publicado por etoulixada às 09:47
link do post | comentar | favorito
|

LUZ NEGRA - Tatiana

"Tatiana tem 12 anos. E é mãe. Tem uma filha, a Catarina, um bebé com alguns meses. Tatiana apareceu no "Jornal Nacional" da TVI, com um ar composto e grave e explicou ao País que aquela filha talvez fosse o resultado de uma ligação com um rapaz com quem tinha namorado durante um ano. Mas também podia ser de outro namorado, já que ela mantinha relações com outro.

Fazendo as contas, a pequena Tatiana tem uma vida sexual activa provavelmente desde os 9 ou 10 anos de idade. Sem sombra de constrangimento, enunciou os factos. Quando a notícia acabou, tive a sensação de ter levado uma martelada na cabeça. Não é novidade mas doeu.

A taxa das mães adolescentes nacional é uma ignomínia, que nos devia encher de vergonha, porque denuncia a nossa clamorosa incapacidade para fazer prevenção e fazer chegar aos mais jovens mensagens eficazes sobre educação sexual. Mas o que me assustou na Tatiana foi o seu ar sisudo de mulherzinha precoce, a total ausência de sinais infantis num rosto ainda redondo da criança que ela ainda não deixou de ser. Fiquei estarrecida com a sua seriedade, que não era uma construção precoce de alguém que foi obrigado a assumir uma responsabilidade. Tatiana acha que é uma mulher, fala da sua sexualidade com uma falta de pudor que roça o inconveniente. Podemos dizer que a culpa é da família a que pertence que não lhe conseguiu ensinar que a sexualidade não é a primeira e única linguagem com o mundo exterior. Tatiana é o rosto de uma falha profunda, que nos fere a todos. Ela não conhece o amor. Não sabe amar. Será que existe coisa mais triste?." Júlia Pinheiro in "24 horas" em 28 de Dezembro de 2006.

sinto-me:
publicado por etoulixada às 09:45
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 25 de Dezembro de 2006

O poema de António Gedeão... para reflectir!

DIA DE NATAL (escrito em 13 de Janeiro 1960)

Dia de Natal
Hoje é dia de era bom.
É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
de falar e de ouvir com mavioso tom,
de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

É dia de pensar nos outros— coitadinhos— nos que padecem,
de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua miséria,
de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.

Comove tanta fraternidade universal.
É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
como se de anjos fosse,
numa toada doce,
de violas e banjos,
Entoa gravemente um hino ao Criador.
E mal se extinguem os clamores plangentes,
a voz do locutor
anuncia o melhor dos detergentes.

De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu
e as vozes crescem num fervor patético.
Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus nasceu?
Não seja estúpido! Compre imediatamente um relógio de pulso antimagnético.)

Torna-se difícil caminhar nas preciosas ruas.
Toda a gente se acotovela, se multiplica em gestos, esfuziante.
Todos participam nas alegrias dos outros como se fossem suas
e fazem adeuses enluvados aos bons amigos que passam mais distante.

Nas lojas, na luxúria das montras e dos escaparates,
com subtis requintes de bom gosto e de engenhosa dinâmica,
cintilam, sob o intenso fluxo de milhares de quilovates,
as belas coisas inúteis de plástico, de metal, de vidro e de cerâmica.

Os olhos acorrem, num alvoroço liquefeito,
ao chamamento voluptuoso dos brilhos e das cores.
É como se tudo aquilo nos dissesse directamente respeito,
como se o Céu olhasse para nós e nos cobrisse de bênçãos e favores.

A Oratória de Bach embruxa a atmosfera do arruamento.
Adivinha-se uma roupagem diáfana a desembrulhar-se no ar.
E a gente, mesmo sem querer, entra no estabelecimento
e compra— louvado seja o Senhor!— o que nunca tinha pensado comprado.

Mas a maior felicidade é a da gente pequena.
Naquela véspera santa
a sua comoção é tanta, tanta, tanta,
que nem dorme serena.

Cada menino
abre um olhinho
na noite incerta
para ver se a aurora
já está desperta.
De manhãzinha,
salta da cama,
corre à cozinha
mesmo em pijama.

Ah!!!!!!!!!!

Na branda macieza
da matutina luz
aguarda-o a surpresa
do Menino Jesus.

Jesus
o doce Jesus,
o mesmo que nasceu na manjedoura,
veio pôr no sapatinho
do Pedrinho
uma metralhadora.

Que alegria
reinou naquela casa em todo o santo dia!
O Pedrinho, estrategicamente escondido atrás das portas,
fuzilava tudo com devastadoras rajadas
e obrigava as criadas
a caírem no chão como se fossem mortas:
Tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá.

Já está!
E fazia-as erguer para de novo matá-las.
E até mesmo a mamã e o sisudo papá
fingiam
que caíam
crivados de balas.

Dia de Confraternização Universal,
Dia de Amor, de Paz, de Felicidade,
de Sonhos e Venturas.
É dia de Natal.
Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.
Glória a Deus nas Alturas.
publicado por etoulixada às 21:01
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 23 de Dezembro de 2006

Milagres e Curas

"Uma das discutíveis vantagens de andar de carro no trânsito lisboeta é aproveitar para ler de raspão as gordas dos posters anunciadoras dos mais diversos eventos. Por razões seguramente económicas, em vez da cara ocupação dos Outdoors estrategicamente colocados e dos assépticos espaços de anúncios electrónicos, há muito quem aproveite túneis, prédios degradados, tapumes vários, para publicitar o escritor da moda, o concerto que há - de ser para a semana, o músico que lançou, ou vai lançar, mais um grande sucesso Há as peças de teatro, as conferências de entrada livre, os cursos sobre temas curiosos, as performances, as companhias de dança, os circos deambulantes. Também há listas de reivindicações, anúncios de manifestações, informações de um ou outro rally paper, de um ou outro restaurante, de um ou outro sortido de electrodomésticos, de algum acontecimento que foi, ou será, muito interessante mas que não se percebe de todo, no confuso ambiente de sucessivas camadas de papel colorido meio rasgado, meio conservado. Esta semana, imaginem, há um cartaz, fabuloso, que anuncia em letras garrafais: «milagres e curas». A sério. Não é o nome de uma peça, nem o de alguma performance, pelo menos no sentido habitual do termo. Precisa-se de várias paragens ou de uns dois ou três quilómetros de "pára – arranca" para se perceber que o cartaz anuncia, mesmo, um senhor estrangeiro que vem aí, não sei quando, fazer milagres e proceder a curas. Até poderia ser estranho. Não se dera o caso de já estarmos naquele limbo de cansaço pessoal, sazonal, civilizacional, ou lá o que é, e seria estranho, no meio de tantas propostas baratas – ou pelo menos módicas -, de iniciativas a tentar arrancar-nos do sofá e do quentinho doméstico, haver a proposta tão absoluta de afluirmos a um qualquer lugar em busca do excepcional a horas marcadas: milagres e curas.Não se dera o caso de o excepcional poder caber numa qualquer categoria tão trivial como todas as outras e até valeria a pena usar o modesto anúncio como fio condutor sobre níveis de crendice, os fenómenos obscuros de crescente desenvolvimento de categorias de novos sagrados; as organizações que se vão estabelecendo por apoio e manipulação de conceitos importantes. Não fora a fase do ano em que invocamos a espera do Pai Natal e o gozo antecipado de vir a ter a consola nova que sofistica, mais ainda, o recurso ao virtual ou em que pensamos no próximo ano como aquele que há – de cumprir esperanças e expectativas, provavelmente, acharíamos estranho divulgações grátis de curas e milagres. Mas, sendo assim...". Isabel Leal (Professora de Psicologia Clínica no ISPA) in "Caras Psicologia" em 23 de Dezembro de 2006.

publicado por etoulixada às 10:23
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Dezembro de 2006

Eterno

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fracção de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata!

Fácil é ouvir a música que toca. Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras. Difícil é seguí-las. Ter a noção exacta de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber. Difícil é estar preparado para escutar esta resposta, ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade. Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo. Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida. Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefónica. Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites. Difícil é lutar por um sonho.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar. Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar. Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou “como vai”? Difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos culpados pela  partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados. Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente eléctrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado. Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama.Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião. Difícil é expressar por gestos e atitudes o que  realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer,  antes que a pessoa se vá...

Fácil é julgar pessoas que estão  sendo  expostas pelas circunstâncias. Difícil é encontrar e reflectir sobre  os seus erros,  ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia  a alguém,  dizer o que ele deseja ouvir. Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação. Difícil é vivênciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem para fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado. Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende. E é assim que perdemos pessoas especiais.

 

publicado por etoulixada às 22:21
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Dezembro de 2006

Ao meu amor...

"Chega mais pertinho!

Escuta com atenção o meu peito!

Ele está tão estranho.

Tem aqui dentro um vazio tão grande.

Meus olhos te procuram.

Quero sentir do teu aroma!

Teu cheiro, tua pele, tocar em você!.

Sabe... Aninhar-te em meu colo... Afagar seus cabelos. Ver seu olhar.

Tocar com meus lábios nos teus. Sentir teu toque em minhas mãos!

Verdade ou loucura do meu ser.

Não sei.

Uma fantasia talvez!

A solidão ou simplesmente carência, enquanto as minhas lagrimas correm,.

Derreto minha alma para você!

Não se assuste. Um desabafo!

Queria tê-la somente para mim.

Sabe!

Uma pessoa com todos os defeitos e qualidades também.

Mas uma amiga leal para todas as horas.

Das alegrias ou nem tanto...

Companheira sabe; com aquela que posso ser assim também!

Ah! Tudo que quero.

Fundir-me em seu corpo, um único ser, sim nós...

Quem me dera poder ter de facto isto!

Um amor para todo o sempre.

Mesmo depois da morte que seja como as flores de um pé de maracujá.

De cor mescla, branca azulada e seu perfume inebriante.

Na primavera exalando todo seu ardor...

Quem me dera viver com você tal encanto.

Entende o quanto te quero.

Não te zangues comigo.

Somente seja o abrigo deste sentimento.

Sei que tudo está distante da realidade não me tome por tola.

Quero te amar, seja esse alguém!

Sim você mesma é só o que te peço! .

Se me amas ou não, te digo não importa...

Pois sei que tudo está contra mim!

Estamos juntos neste mundo...

Sinto que você é uma pessoa de acção e não apenas lirismo, não ficará em sonhar apenas...

Tem que ser concreto e perene...

Mas só me permita te amar assim como te amo!

Nesta distancia maldita que me separa do meu bem querer!

Simplesmente ...

EU TE AMO!"

sinto-me:
publicado por etoulixada às 11:38
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 19 de Dezembro de 2006

O medo de tentar!

"Depois de algum tempo aprendes a diferença, a subtil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma.

E aprendes que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança.

E começas a aprender que beijos não são contratos, e presentes não são promessas.(...)

E não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai magoar-te de vez em quando e precisas perdoá-la por isso.

Aprendes que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobres que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que podes fazer coisas num instante, das quais te arrependerás pelo resto da vida.

Aprendes que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias.

E o que importa não é o que tu tens na vida, mas quem tens na vida (...)

Aprendes que quando estás com raiva tens o direito de estar com raiva, mas isso não dá o direito de seres cruel.

Aprendes que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém. Algumas vezes, tens que aprender a perdoar-te a ti mesmo. Aprendes que com a mesma severidade com que julgas, tu serás em algum momento, condenado.

Aprendes que não importa em quantos pedaços teu coração foi partido, o mundo não pára para que o consertes.

E, finalmente,

Aprendes que o tempo, não é algo que possa voltar para trás.

Portanto, planta teu jardim e decora a tua alma, ao invés de esperar que alguém te traga flores.

E percebe que realmente podes suportar... que realmente és forte, e que podes ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.

E que realmente a vida tem valor, e que tu tens valor diante da vida!(...)

E só nos faz perder o bem que poderíamos conquistar, o medo de tentar!"

(Shakespeare)

 

 

sinto-me:
publicado por etoulixada às 09:42
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2006

NAQUELE DIA CAÍ... E APRENDi

"E assim, naquele dia que parecia como outro qualquer, meu mundo tornou-se cinzento.

E assim, naquele dia que parecia como outro qualquer, decidi que o meu maior triunfo seria sobre mim mesmo.

Aprendi que as quedas são estímulos para que aprendamos a levantar, com dignidade e com coragem

Aprendi que para olhar o mundo, é preciso estar no chão. Eu só o conhecia do alto da minha arrogância.

Descobri que nunca tinha questionado se minhas ambições incluíam a ética.

Aprendi que nada nos acontece por acaso. Sempre há um "para que".

Descobri as caras feias que eu estava vendo nada mais eram que meus reflexos em milhares de espelho.

Naquele dia descobri que meus rivais e meus desafetos eram apenas ameaças à minha insegurança. .

As sombras que me seguiam nada mais eram do que o reflexo negro da minha alma.

Descobri que carregava em mim um Ego muito maior que eu.

Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tenha sido.

Descobri que as minhas ambições eram fruto da minha enorme onipotência.

Naquele dia, deixei de ser um propagandista dos meus triunfos passados e passei a ser a minha luz do presente.

Aprendi também que de nada serve ser luz se não posso iluminar o caminho dos demais

Naquele dia, deixei de ser o comercial do meu pseudo-conhecimento e passei a aprender um pouco mais.

Aprendi também que de nada serve saber se não posso compartilhar e legar o conhecimento.

Que para multiplicar o pão de cada dia, é preciso dividi-lo.

Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim continuar a subida.

Aprendi que a vitória duradoura não vem de supetão. Ela é conquistada por etapas. Eu subi rápido demais, alto demais!

Vi que na luta pelos meus objetivos, o maior é lutar. E que são os caminhos sofridos que nos amadurecem e domam.

Aprendi que posso fazer qualquer coisa e arcar com a responsabilidade das quedas.

Deixei de me importar com quem ganha ou perde, e me importar simplesmente com quem faz.

Decidi ver cada problema como uma oportunidade para aprender a achar soluções.

Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las.

Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de recomeçar

Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.

Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.

Aprendi que as palmeiras altas e eretas, nos dão uma lição de dignidade e postura, diante das intempéries da vida.

Aprendi que o melhor triunfo que posso ter, é ter o direito de chamar alguém de "amigo".

Descobri que o amor é mais que um simples estado enamorado, "o amor é uma decisão de vida.

Vi que não estava protegendo aqueles que eu amo. Quando o bem é precioso demais, todo zelo é pouco. E que eu não sou o bem mais precioso!

Aprendi que a compaixão não é sentimentalismo e sim humanidade.

Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para fazer a realidade.

Aprendi que a imagem do inatingível é o que nos aciona para que o busquemos.

Tudo para mim foi atingível!

Desde aquele dia já não durmo para descansar simplesmente... durmo para sonhar!

E desde aquele dia já não batalho para triunfar e sim para lutar no combate.

E desde aquele dia já não vivo mais para ganhar e sim para viver.

Para cair...

Para levantar...

Para continuar...

Para chorar...

Para perdoar... Para respeitar... Para amar...

... Para aprender e para decidir sobre quem eu quero ser. "

sinto-me:
publicado por etoulixada às 15:36
link do post | comentar | favorito
|

.Um blog só para mim, para quando me sentir em baixo, vir aqui "beber" algo que me alimente a alma, momentos retirados do "meu" baú das recordações...

.pesquisar

 

.Julho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.escrevi há pouco

. Foi tudo uma MENTIRA pega...

. Amor é...

. Parabens!!!!

. PEIXINHA

. para ti.....com carinho.....

. Onze minutos

. Pensamento do dia

. Hoje

. A morte e a confissão

. Meu coração parou

.O que escrevi antes

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006